Texto solicitando espaço na Universidade para divulgação de ideias e avaliando que ideologia deve ser objeto de estudos e não "crença", causou polêmica

24/10/2018 19:18

O encontro que aconteceu nesta semana da Unesc entre a Reitora Luciane Ceretta, o deputado eleito Jessé Lopes e apoiadores, com a entrega de uma carta solicitando espaço para a divulgação de suas ideias provocou polêmica.

 A carta, que foi entregue à reitora foi classificada como sendo do PSL, talvez pela presença de Jessé, que foi eleito pelo partido. Há pouco, em nota,  a Executiva do PSL em nota, negou a autoria da carta.

 "Contudo, o PSL mostra-se solidário ao movimento apartidário e independente, de alunos e egressos na busca da pluralidade de idéias dentro das instituições de ensino",  diz uma parte do texto assinado pelo o vice-presidente do partido, Lucas Shmmitz

Confira na íntegra a nota oficial do PSL de Criciúma:

Criciúma, 24 de outubro de 2018.

 NOTA OFICIAL – EXECUTIVA PSL CRICIÚMA

A Executiva municipal do Partido Social Liberal (PSL), vem a público esclarecer notícias veiculadas na imprensa indicando suposta autoria do partido em pedidos feitos a Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC) em carta aberta entregue a reitoria da instituição de ensino.

O PSL de Criciúma NEGA a autoria da carta aberta,entregue a UNESC.

Contudo, o PSL mostra-se solidário ao movimento apartidário e independente de alunos e egressos na busca da pluralidade de ideias dentro das instituições de ensino, a fim de enriquecer o debate democrático e contribuir para a formação de cidadãos e profissionais melhores.

Respeitosamente,

 

Lucas Borsatto Schmitz

Vice-presidente

Partido Social Liberal

CONFIRA NA INTEGRA A CARTA ENTREGUE NESTA SEMANA NA UNESC

Carta aberta à Magnífica Reitora da Universidade do Extremo Sul Catarinense, Professora Doutora Luciane Bisognin Ceretta.

 Nós, cidadãos, entre os quais alunos atuais e egressos desta Universidade, vimos no dia de hoje pronunciarmo-nos acerca de nossa inquietação pelos recentes posicionamentos desta instituição, tanto no ambiente acadêmico quanto na relação com a comunidade criciumense e demais cidades de nossa região.

Nas últimas décadas, esta instituição tornou-se reconhecida pelo seu reiterado apoio (ora explícito, ora velado) a partidos, candidatos e militantes de ideologias de cunho socialista ou progressista. Ninguém pode negar, por exemplo, a proximidade de colaboradores e da reitoria - não necessariamente desta atual - com o Partido dos Trabalhadores e outros do mesmo espectro político.

Reconhecemos, como direitos naturais e inalienáveis, a livre expressão do pensamento e, por conseguinte, a adesão do indivíduo a qualquer crença ou sistema ideológico, seja essa pessoa um membro desta Universidade ou não. 

No entanto, enfatizamos que é dever desta instituição – não só porque se trata de uma universidade comunitária, mas porque este deve ser o desígnio de qualquer estabelecimento de ensino – promover a educação formal dos indivíduos por meio da oferta, na medida do possível, do conhecimento agregado pelo ser humano ao longo da história. Obviamente, a premissa não permite que esse conhecimento seja apresentado de forma sectária e, muito menos, com o intuito de formação de militância. 

Temos convicção de que o apego ideológico e a constante pregação política dentro do ambiente escolar são, em grande parte, responsáveis pela situação calamitosa da educação brasileira.

A ideologia, aqui conceituada como a adoção de um sistema de pensamento fechado em si, tem como efeito a sobreposição da fantasia humana sobre a realidade do ser; em outras palavras, é antifilosófica e anticientífica. A ideologia, portanto, seja ela qual for, deve adentrar a universidade como objeto de estudo e não como crença, instrumento de ensino ou norma de atuação daqueles que compõem a instituição. 

Nota-se, todavia, um coincidente alinhamento ideológico de uma parte pequena - porém tumultuosa - do corpo docente e administrativo da UNESC. São comuns, de acordo com depoimentos de alunos, a pregação ideológica e até a propaganda político-partidária dentro de suas salas de aula; são famosos, também, os abaixo-assinados subscritos de maneira genérica pelos "Professores da UNESC” em prol de certos partidos, além do flagrante uso dos departamentos de ensino para militância política.

Tal alinhamento ideológico repercute, obviamente, na indicação de autores feita pelos professores e, também, na literatura disponível na Biblioteca Central Professor Eurico Back. Raros são os títulos que propõem uma abordagem realmente filosófica e científica do conhecimento, enquanto abundam aqueles que preconizam sistemas revolucionários que advogam pela desconstrução de nossa civilização.

Além de atentar contra o conhecimento e apresentar outros efeitos danosos, essa postura ainda coloca esta instituição em confronto com o espírito de nossa sociedade. Teme-se, assim, que a imagem desta Universidade se deteriore perante os cidadãos; tornou-se comum, por exemplo, que alunos busquem outras instituições de ensino com o intuito de fugir da perseguição ideológica; não são raros, como já dissemos antes, os relatos de alunos acerca de perseguições ou pregações político-ideológicas em sala de aula.

Assim sendo, com o propósito de buscar uma maior integração desta Universidade com a comunidade e evitar a contínua degradação da imagem desta instituição, permitimo-nos propor, respeitosamente, as seguintes práticas:

 a) o cumprimento, em sua integralidade, da Resolução 01/2016/CONSU, que regulamenta a propaganda eleitoral externa no campus da UNESC; 

b) a vedação de campanhas políticas ou militância ideológica em salas de aula por parte dos professores da instituição, respeitando sempre o direito individual de cada um;

c) a vedação da utilização do nome da UNESC por professores, alunos, centros acadêmicos, departamentos e demais associações de pessoas dentro desta universidade com o intuito de fazer militância política ou ideológica;

d) a busca por uma maior pluralidade de ideias no momento da contratação de professores;

e) a realização de palestras e eventos que contem com representantes das mais variadas visões políticas, sem restrição ou preconceito de quaisquer espécies;

f) a formalização de um núcleo de estudos conservadores dentro desta universidade (colocamo-nos à disposição para que participemos diretamente da criação desse núcleo);

g) a disponibilização de títulos de autores liberais (economicamente) e conservadores em uma área específica dentro da Biblioteca Central Professor Eurico Back, para que haja uma maior divulgação de outras vias de pensamento (comprometemo-nos, desde já, com a doação de uma estante e de títulos à Universidade).

 Gostaríamos, também, de agradecer à Magnífica Reitora pela calorosa receptividade e pela oportunidade para que nós, cidadãos, possamos expor nossos anseios a esta nobre instituição. Esperamos, finalmente, contribuir para que a UNESC seja, de fato, uma universidade plural e democrática, com respeito e amor pelo conhecimento e pelas tradições de nosso povo.

LEIA MAIS: VISITA À REITORIA UNESC

Enviando Comentário Fechar :/