O pedido é para que a Coopera permaneça como fornecedor de energia para região de Criciúma, apesar de a Aneel ter determinado a migração para a Celesc.
03/06/2020 21:46

Comissão formada na Câmara de Vereadores de Criciúma, que trata da questão Coopera X Celesc, reuniu-se nesta noite com os três deputados federais representantes da região, que  vão solicitar através do Fórum Parlamentar Catarinense, do qual Daniel Freitas, do PSL, é o coordenador, uma audiência na Aneel em Brasília.

Ao mesmo tempo, será iniciado o diálogo com a Celesc em Santa Catarina, em busca de solução para o impasse.  O pedido é para que a Coopera permaneça como fornecedor de energia para região de Criciúma, apesar de a Aneel ter determinado a migração para a Celesc. 

A área abrange a região agrícola de Criciúma seguindo o lado esquerdo da Rodovia Luiz Rosso, a partir do 28º GAC até o bairro Quarta Linha e parte da BR-101 – nas localidades de São Domingos, Vila Maria e Espigão da Toca, abrangendo ainda outros 900 consumidores da região do bairro São Sebastião, além do bairro Montevidéo.

São cerca de dois mil consumidores contrários a migração dos serviços. Segundo eles, o impacto com a mudança pode chegar a um aumento de 40% na fatura de energia.

Participaram do encontro os deputados Geovânia de Sá, Daniel Freitas e Ricardo Guidi, além dos vereadores  Tita Belloli,  Ademir Honorato, Geovana Zanette, Miri Dagostin e Paulo Ferrarezi e do presidente da Coopera, Walmir Rampinelli.

 

Enviando Comentário Fechar :/