A festa de Azambuja que reuniu lideranças políticas da região em clima de pré-campanha
01/08/2021 18:57

A impressão que fica sobre a visita de Kassab

Quem  acompanhou a coletiva do presidente nacional do PSD em Florianópolis, Gilberto Kassab, se deparou com um líder firme em suas convicções, principalmente quando o assunto são as candidaturas a presidência da República e ao Governo de Santa Catarina para as eleições do próximo ano. A presença de Kassab em Santa Catarina foi o primeiro passo de um roteiro pelo Brasil, visando a preparação para 2022. O cenário atual demonstra certa polarização entre o atual presidente, Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula, do PT, ambos em franca pré-campanha. Não é segredo para ninguém que o sonho de vários partidos passa a ser a construção de uma terceira via com condições de competitividade e Kassab apresentou o atual presidente do senado, Rodrigo Pacheco como alternativa. O discurso apresentado é que o PSD é um partido de centro com raízes no social. “Somos de centro com educação , saúde e segurança e economia com viés liberal, sem ser fisiológico mas ideológico” , enfatizou Kassab,revelando o o tom da campanha. Mesmo com toda a construção e com a habilidade política conhecida de Kassab, há de se lembrar que definições costumam acontecer muito próximo ou somente nas convenções. Sendo assim, o discurso de Kassab por ora, soa mais como tentativa de fortalecimento do PSD, com condições de eleição de expressivo número de deputados e alguns governadores do que a real chance de ter um candidato à presidência da República.

 Lado de cá e de lá

O PSD de Santa Catarina tem quatro pré-candidatos ao governo do estado para as eleições do próximo ano. Coincidência ou não, na reunião de sexta-feira em Florianópolis, Raimundo Colombo ficou a direita de Kassab e os outros três: Napoleão Bernardes, Adeliana DalPont e João Rodrigues sentaram à esquerda, e lado a lado.

 Agenda

Questionado sobre a agenda em Santa Catarina, Gilberto Kassab confirmou apenas a visita ao ex-senador Jorge Bornhausen na tarde de sexta-feira. Extraoficialmente no entanto, correu a informaçào que ele teria visitado o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro e o presidente do Republicanos em Santa Catarina, deputado estadual Sérgio Motta.

 

Empolgado

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues mostrou-se mais empolgado com a possibilidade de concorrer ao governo do Estado em 2022. Avisou inclusive que a possibilidade de renunciar a prefeitura é mais que 45%.

 No evento

O vice-prefeito de Criciúma, Ricardo Fabris, que assumiria a prefeitura caso o titular, Clésio Salvaro, do PSDB resolva concorrer nas eleições de 2022, também compareceu ao evento do PSD sábado em Florianópolis. Nos bastidores já corre a informação que Fabris poderia concorrer a uma cadeira na Assembleia nas eleições do próximo ano o que poderia não ser pelo PSD.

Alternativa

Nos bastidores políticos nacionais já surge a possibilidade de o atual vice-presidente da República, Hamilton Mourão constitui uma terceira via para concorrer no próximo ano à presidência da República. A conferir.

 

Na estrada

A Festa da Colônia Azambuja, realizada neste fim de semana em pedras Grandes, não teve a presença de público mas reuniu políticos, inclusive o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro e a presidente estadual do PSDB, Geovânia de Sá, além do prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli e do pré-candidato à deputado estadual pelo PP da Amurel, Pepê Collaço. Nos últimos dias, Ponticelli incluiu Pepê Collaço na agenda. 

Video

O senador Jorginho Mello continua trabalhando a ligação de sua imagem a do presidente Jair Bolsonaro. A intenção é consolidar a imagem de “candidato do Bolsonaro”na disputa eleitoral de 2022. Durante a última semana Jorginho Mello divulgou dois vídeos, um com o filho do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro e outro com o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante agenda em Blumenau. Neste domingo, Jorginho participou de evento em Joinville, a favor do voto auditável e recebeu ligação do presidente Bolsonaro, que tornou pública.

 


Bastidores

A questão em pauta no “candidato do Bolsonaro” em Santa Catarina envolve também a qual partido o presidente deve se filiar. Há entre as possibilidades o PP, de Esperidião Amin, o que daria fôlego  ao atual senador por Santa Catarina para disputar o Governo em 2022.

Bastiudores II

Com afirmação do presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab que o partido não é nem nunca foi Governo e que o voto auditável é "balela", a possibilidade de João Rodrigues ser o candidato de Jair Bolsonaro em Santa Catarina, pelo menos por ora, soa como estranha. Ou no mínimo diálogo divergente entre os líderes do PSD.

 

 

 

 

 

 

Enviando Comentário Fechar :/