O argumento é que somente com a sobra da Cosip seria possível a troca de lâmpadas comuns por de LED. Mais que isso, eles questionam a licitação para o mesmo fim realizada recentemente.
28/07/2019 19:15

O empréstimo aprovado na Câmara de Vereadores na ordem de R$ 30 milhões para Iluminação Pública em Criciúma e a licitação na ordem de R$ 7 milhões para troca de 5 mil lâmpadas comuns por lâmpadas de Led, será levado ao Ministério Público da Moralidade na terça-feira pelo vereador Zairo Casagrande, do PSD.

Outros integrantes do Legislativo que votaram contra a aprovação do empréstimo devem acompanhar Casagrande. Foram dez votos favoráveis e seis contrários. O alerta feito por Zairo Casagrande ainda no horário político na sessão da última terça-feira, foi de que a troca de lâmpadas comuns pelas de Led é possível somente com a sobra da taxa da Cosip, cobrada pela prefeitura.

O cálculo do vereador é que a cada dez meses a sobra de cerca de R$ 4 milhões permite a troca de mais de 9 mil luminárias, possibilitando que  em um mandato de quatro anos a substituição de 25 mil pontos existentes. “ Esse financiamento de R$ 30 milhões é desnecessário e imoral”, sentenciou anunciando o voto contrário.

O líder do Governo, vereador Aldinei Potelecki, do PRB, ao defender a proposta durante a votação, disse que havia pessoas nas galerias da Câmara naquele dia que seriam beneficiadas com a troca e que as lâmpadas de Led possibilitariam redução de até 40% do consumo, recurso suficiente para o pagamento em dez anos, do financiamento.

Além disso, ele argumentou que há previsão da redução de alíquota na cobrança da Cosip e lembrou que projeto do vereador Kaminski, do PSDB, aprovado na Casa e vetado prefeito mas com veto derrubado pelos vereadores, estaria sendo cumprido. Zairo Casagrande voltou à Tribuna e resumiu: a discussão aqui não é se devemos ou não trocar as lâmpadas. “ Todos concordamos que sim. O que somos contra é endividar o município em R$ 30 milhões”.

 O vereador Ademir Honorato, do MDB, que também votou contra o projeto para empréstimo de R$ 30 milhões do Banco do Brasil, para a troca de lâmpadas em Criciúma, explicou na Tribuna os motivos. Lembrou dos vários requerimentos que pediu sobre a Cosip, reforçou que a taxa é superavitária e citou também aditivos com valores entre R$ 600 mil e R$ 1 milhão.

“Se o vereador Zairo disse que com R$ 30 milhões da pra iluminar a Amrec, com todos esses aditivos podemos iluminar atá a Amurel”, calculou Honorato.

 O vereador Júlio Kaminksi, do PSDB, que também votou contra o projeto de empréstimo de R$ 30 milhões, fez os cálculos do juro a ser cobrado em dez anos, o prazo para pagamento do empréstimo. Seria de cerca de R$ 13 milhões.

 A licitação questionada pelos vereadores de Criciúma é quanto ao preço para a troca das lâmpadas. O vereador Aldinei Potelecki, do PRB, esclareceu que são 30 mil pontos em Criciúma e já foram licitados cinco. São esses cinco que estão sob suspeita dos integrantes do Legislativo. A conta feita é que o custo de casa peça seria cerca de R$ 600,00. Na licitação o preço cobrado é de R$ 1357,00 cada.

 Outro questionamento dos vereadoresna sessão, foi quanto ao pedido de urgência na votação do projeto, que teve dispensa de pareceres de todas as comissões na Câmara de Vereadores de Criciúma.

Confira a votação:

A favor:

Aldinei Potelecki - PRB

Alisson Pires - PSDB

Camila do Nascimento - PSD

Edson Aurélio - PSDB

Dailto Feuser - PSDB

Geovana Zanette - PSDB

Júlio Colombo - PSB

Salésio Lima - PSD

Tita Belolli - MDB

Toninho da Imbralit - MDB

Contra :

Ademir Honorato - MDB

Edson Paiol - PP

Júlio Kamininski - PSDB

Pastor Jair - PSC

Paulo Ferrarezzi - MDB

Zairo Casagrande, do PSD

 

Enviando Comentário Fechar :/