Isso porque, ele terá a partir da formação do Aliança e debandada dos Bolsonaristas um partido para chamar de seu: o PSL. A partir de então, cairá sobre Moisés a missão de organizar o partido em todo o Estado.
14/11/2019 09:43

Que a criação de um novo partido anunciada nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro atinge em cheio politicamente o Governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, provocando seu quase isolamento é fato concreto. Mais que isso no entanto, há de se levar em consideração que essa será a “prova de fogo” do Comandante, eleito pela onda Bolsonaro.

Isso porque, ele terá a partir da formação do Aliança e debandada dos Bolsonaristas um partido para chamar de seu: o PSL. A partir de então, cairá sobre Moisés a missão de organizar o PSL em todo o Estado, buscando candidatos para as eleições de 2020, que devem ser base para sua pretensa reeleição em 2022 como Governador.

Estará em evidência então a habilidade e capacidade política de Moisés, a ser medida pelo tamanho que ficará o partido em Santa Catarina. É a oportunidade para Moisés comprovar que sabe nadar sem a “ bóia Bolsonaro”.

Enviando Comentário Fechar :/