Leia também: Conscientização em Morro da Fumaça: Deputada Marlene Fengler mantém pré-candidatura a federal; a ausência de Edvânio Manenti em evento do PL
10/10/2021 16:43

A lamentável politização da pandemia

O vídeo do presidente do Conselho Federal de Medicina, Mauro Luis Ribeiro, foi amplamente divulgado sob diversos olhares, mas politizado sob todos os aspectos, como acontece quando se fala no tratamento para a Covid-19. Na gravação, o médico enfatiza que o tratamento "precoce" não foi preconizado mas também não o proíbe, e destaca a autonomia de cada profissional para definir o melhor tratamento para seu paciente.

Destaca ainda os dois grandes pilares da medicina: O sigilo médico e a autonomia para fazer sempre o melhor para sues pacientes dentro da ética e da lei da beneficência.No vídeo, o presidente encoraja os médicos de todo o Brasil a exercer a profissão em sua plenitude e destaca o apoio do CFM para que isso seja realmente possível. “ Não aceitem pressão .

A instituição que dá o respaldo legal para tomar atitude no tratamento da covid é o CFM”, diz o médico na gravação.A politização da pandemia infelizmente dividiu também a classe médica quando se impõe, se rechaça e impede paciente e médico de tentarem reverter um quadro grave com um ou outro medicamento que não está no "protocolo".

A criminalização de medicamentos que chegou inclusive à ridícula CPI instalada no Congresso Nacional para investigar o que não aconteceu é tão lamentável quando as cerca de 600 mil mortes ocorridas no brasil em razão da Covid-19.

Ao ponto de Renam Calheiros colocar na CPI como investigados, médicos que estão na linha de frente desde que a tragédia começou e que se mantém firmes em busca do melhor tratamento para seus pacientes. Inacreditável o que estamos assistindo em nosso país.

 

A politização do absorvente

Assim como a CPI Covid, outro assunto que “politizou geral” na última semana foi o veto do presidente Bolsonaro ao projeto que prevê o combate à pobreza menstrual”, quando propõe a distribuição de absorventes para mulheres para estudantes carentes dos ensinos fundamental e médio, mulheres em situação de vulnerabilidade e presidiárias. Não se discute o valor da proposta e o quão atitudes  são necessárias para auxiliar as mulheres que realmente não possuem condições de comprar absorventes. O que está em discussão no entanto, não é somente isso. O projeto não prevê fonte de custeio, o que fere a lei de Responsabilidade Fiscal. Ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal é motivo para cassação. Então, a impressão que fica é que não é a questão da pobreza menstrual, que sempre existiu mas acabou de ser descoberta, que está em pauta.

Planos mantidos

A deputada estadual Merlene Fengler, do PSD, em contato com o blog, garantiu que pelo menos por ora, não há mudanças em seus planos para as eleições de 2022, e que a pré-candidatura a deputada federal está mantida. Nos bastidores a informação corrente é que o atual deputado Ismael de Souza, do PSD, poderia concorrer a deputado federal com apoio da Igreja Assembleia de Deus e que Marlene poderia concorrer a reeleição como estadual. 

Bastidores

Agitou os bastidores políticos a nota exclusiva que a coluna publicou na última sexta-feira sobre a reunião secreta do Governador Moisés com a presidente nacional do Podemos, Renata Abreu. Na pauta, possível fiuliação do Governador Moisés ao Podemos para concorrer à reeleição em 2022. Nos bastidoers do partido, a informação corrente é que dificilmente a hipótese passa pelo crivo dos locais que já definiram a pré-candidatura de Fabrício de Oliveira, do Podemos, para o Governo do Estado.

 Márcio Búrigo com apoio de Henrique Salvaro

Na política regional, o pré-candidato a deputado estadual pelo PL, ex-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo conseguiu a declaração de apoio do empresário Henrique Salvaro para seu projeto em 2022. A reunião aconteceu neste sábado entre Márcio Búrigo e o grupo político de Henrique Salvaro, confirmando a informação antecipada pela coluna de possível apoio do empresário para um candidato que não é do PSDB. O ex-deputado Cleiton Salvaro, do PSDB, que é sobrinho de Henrique e teria o apoio, anunciou na última semana sua desistência da candidatura a deputado estadual no próximo ano.

Brasil: o país que politiza pandemia a absorvente; Henrique Salvaro vai apoiar pré-candidato a estadual que não é do PSDB; PSD e MDB mais próximos em Urussanga

 PSD e MDB mais próximos em Urussanga

O evento do PSD na Praça de Urussanga no sábado, balançou os bastidores políticos na cidade, pela sintonia de integrantes do PSD e do MDB, que posaram inclusive para fotos. Entre as justificativas para a realização do evento do PSD, que comemora dez anos em Urussanga, o “ debate sobre a política local”. O MDB foi oposição ao PSD nas eleições de 2020. Com o afastamento do prefeito Luis Gustavo Cancellier o PSD, que tem o vice-prefeito Jair Nandi, assumiu o comando da prefeitura e praticamente não recebe críticas da oposição na Câmara. No sábado, Leonardo Felippe, presidente JMDB, e coordenador regional da juventude, Rodrigo Fontanella, do  PSD, vereador Luan Varnier líder da bancada do MDB, Vereador Beto Cabeludo , do MDB, um dos que denunciou o prefeito de Urussanga, o presidente do PSD em Urussanga Luís Antônio Fabro, e o vereador Suplente Amarildo Toti debateram a política local. 

Brasil: o país que politiza pandemia a absorvente; Henrique Salvaro vai apoiar pré-candidato a estadual que não é do PSDB; PSD e MDB mais próximos em Urussanga

Ausência anotada

Anotada a ausência no evento do PL da Amrec, do suplente de vereador Edivânio Manenti, que concorreu em 2020 com apoio do ex-vice-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo e até pouco tempo era considerado dos principais integrantes do "time". O evento com a presença de lideranças de peso do PL, como o senador Jorginho Mello, serviu principalmente para o pré-lançamento de candidaturas proporcionais da região, como a do próprio Márcio Búrigo, pré-candidato a deputado estadual Já há nos bastidores especulação sobre  Edvânio ter sido convidado  por outros partidos para possível migração.

 Morro da Fumaça

Em Morro da Fumaça, a Câmara de Vereadores do Município está iluminada em alusão ao “Outubro Rosa”. A sugestão foi da vereadora Jorgia Guglielmi, do PSDB, que sustentou sobre a importância em conscientizar  a população feminina na busca do diagnóstico precoce para identificação de doenças que acometem a saúde das mulheres. “Hoje temos três vereadoras na Câmara de Morro da Fumaça e precisamos dar exemplo nas pautas femininas, principalmente quando se trata de saúde pública”, avalia.É a primeira vez na história que o Legislativo fumacense utiliza a iluminação da fachada como forma  de conscientizar a população feminina sobre o tema. 

Brasil: o país que politiza pandemia a absorvente; Henrique Salvaro vai apoiar pré-candidato a estadual que não é do PSDB; PSD e MDB mais próximos em Urussanga

 Rosa

Em Içara, a vereadora Carla Vieira de Souza, do MDB, requereu a empresa Ilumina Içara, a troca de lâmpadas convencionais por iluminação cor de rosa em pontos da cidade, neste mês de outubro. De acordo com o requerimento os locais seriam a Câmara Municipal, Prefeitura, Hospital São Donato, Casa Rosa e Praça da Matriz. A vereadora informou que neste mês serão realizados diversos movimentos em apoio ao Outubro Rosa “É uma forma de chamar a atenção das pessoas e com isso abrir o debate na sociedade sobre a importância da prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama”, destacou Carla de Souza.

Ponto facultativo

A sessão da Câmara de Vereadores de Içara, que aconteceria nesta segunda-feira, foi transferida para o dia 13 de outubro, quarta-feira, em virtude do ponto facultativo na véspera de feriado do dia 12 de outubro, Dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.Conforme Ato da Mesa Diretora, os servidores permanecerão a disposição, podendo ser convocados pela presidência do legislativo para prestarem serviço presencial ou remotamente. 

Enviando Comentário Fechar :/