Entre as conseqüências políticas da confirmação ontem do ex-vereador de Forquilhinha, Rangel Loch, como coordenador do PSL na Amrec, a conclusão que está afastada qualquer possibilidade de lideranças “bolsonaristas" participarem diretamente de articulação dentro do partido para as eleições do próximo ano.
26/11/2019 09:16

Entre as conseqüências políticas da  confirmação ontem do ex-vereador de Forquilhinha, Rangel Loch, como coordenador do PSL na Amrec, antecipada por este site, a conclusão que está afastada qualquer possibilidade de  lideranças “bolsonaristas” como os deputados Jessé Lopes e Daniel Freitas participarem diretamente de  articulação dentro do partido para as eleições do próximo ano.

Principalmente pelo fato de a artifculação ter a "digital" do deputado Rodrigo Minotto, do PDT, co ideologia totalmemnte oposta ao que defendem os aliados de Bolsonaro.

Por ora, os deputados que foram eleitos pelo PSL, não podem migrar a outro partido sob pena de perda de mandato. Devem trabalhar por um candidato de outro partido, que represente o presidente Bolsonaro. 

Enviando Comentário Fechar :/