Em meio ao embate entre o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, do PSDB e a Casan, o ex-presidente da Casan, Walmor de Luca avalia que o rompimento do contrato pode trazer conseqüências para a cidade, principalmente na questão do tratamento de esgoto.
28/03/2019 08:37

Em meio ao embate entre o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, do PSDB e a  Casan, o ex-presidente da Casan, Walmor de Luca avalia que o rompimento do contrato pode trazer conseqüências para a cidade, principalmente na questão do tratamento de esgoto.

Na entrevista que concedeu ao site e à coluna do DN ontem, em sua casa em Florianópolis, Walmor disse que ele, se fosse o prefeito de Criciúma, pensando no futuro da cidade e necessidade de se realizar o tratamento de esgoto, não romperia o contrato. 

"Se pensar imediatista, agora, faria e ficaria um dinheiro em caixa da prefeitura", raciocina. Mais que isso, o ex-presidente da Casan avalia o máximo de redução da taxa de esgoto é para 80% do valor da fatura de água. 

Confira a entrevista:

 Juridicamente é possível que se consiga fazer um consórcio de municípios para administrar a água da região?

Eu acho que é... e teria a Barragem junto... o sistema de água é altamente viável economicamente. Em termos de esgoto é problemático. Por que? Quem é que vai fazer as obras daqui para a frente? O que está feito é a parte mais fácil... está feito alguma coisa em Forquilhinha, feito alguma coisa em Siderópolis me parece...

 Será possível reivindicar a barragem? Como?

Ficaria no consórcio... Siderópolis teria que estar junto no consórcio...

  Siderópolis é essencial para o consórcio...

Eu acho que sim. Siderópolis tem que fazer parte. Se não fizer parte já complica

 

De quem é a Barragem hoje?

A Barragem é da Casan. mas foi feita com dinheiro do governo federal . Sendo feita com dinheiro do Governo Federal, eu acho que os municípios têm na verdade juridicamente uma ascendência sobre a Barragem também.

 

Conforme sua experiência como presidnete da Casan, se Criciúma sai, qual impacto financeiro para a Casan?

Eu , Criciúma não sairia por causa do futuro em questões de esgoto. A dificuldade de conseguir recursos para o futuro. Acho difícil. Agora, em termos de água é um bom negócio para o município. Se pensar só em água. Para a Casan é um problema delicado. Hoje a Casan está sustentada em quatro pilares: Florianópolis, São José, Criciúma e Chapecó. Você tirando um desses, em três sustenta? Criciúma saindo, pode provocar a saída de Chapecó. E aí, se acaba a Casan.

 

 O sr considera possível a redução da taxa de esgoto em Criciúma, como o prefeito Clésio Salvaro reivindica?

É inviável ...

 

Por que?

Porque a Casan, ela tem um custo e não só a Casan, o Brasil inteiro, que não pode pensar em menos... 80% é o limite. Teria que ser de 80 a 100%... Passar para 60%, os outros municípios vão querer o mesmo e aí inviabiliza a Casan.

 

Mas quem define o preço do esgoto não é a Agência Reguladora?

Sim, a Agência Reguladora Estadual. Fazer uma agência reguladora municipal eu acho que é uma forma apenas de driblar a legislação, arrumar pretexto para poder baixar... o problema é o seguinte: a agência reguladora, coloca uma municipal, ela passa para 60% a taxa de esgoto, a Casan para de fazer esgoto. Porque não tem rentabilidade econômica. O sistema de esgoto é caro, através de financiamento. Quem é que vai dar o dinheiro para financiar um esgoto sabendo que a arrecadação vai ser só de 60%? Não dá. Eu como prefeito de Criciúma, pensando no futuro, na necessidade de expandir o sistema de esgoto, não faria a municipalização. Se pensar imediatista, agora, faria e ficaria um dinheiro em caixa da prefeitura.

 

Mas então pode ter conseqüência futura?

Muito graves. O que o Paulo Meller fala é um pouco verdade. A estação de tratamento de Criciúma está no limite. Mas eu acho que a ampliação não é tão cara. Trazer mais água da Barragem eu não conheço bem esse sistema. Segundo a Casan, estudo antigo, precisaria. Segundo estudo feito pelo César de Luca, não precisaria. Ele disse que bastaria colocar mais bombas para jogar mais água, o que aumentaria a velocidade da água.

Existe uma municipalização recente na Amrec, em Morro da Fumaça, avaliada como de sucesso. O sr tem conhecimento desse caso?

Não conheço o que foi feito em Morro da Fumaça nos últimos anos. Conheço que o sistema de  Morro da Fumaça é péssimo. É uma Estação da Tratamento que não fica no município de Morro da Fumaça, mas no município vizinho de Treze de Maio, altamente contaminado inclusive com cultura de arroz, agrotóxicos. 

 

Enviando Comentário Fechar :/