Quando o assunto é o Governo de Carlos Moisés no entanto, apesar de seu declarado apoio à Bolsonaro, Alba é bem mais ameno que deputados do PSL como Ana Campagnolo e Jessé Lopes, adotando postura de certa defesa da administração estadual.
08/11/2019 12:28

 

Deputado mais votado em 2018, Ricardo Alba é dos mais moderados do PSL, principalmente quando o assunto é a briga e divisão partidária. Eleito com a bandeira de Jair Bolsonaro que defendia desde antes de sua pré-candidatura a presidente, Alba reafirma seu apoio ao Presidente e confirmou que deve participar pelo menos do início do evento de hoje em Criciúma com a presença do deputadp federal Eduardo Bolsonaro. Na entrevista que concedeu ao site, o deputado sinaliza que está construindo o caminho para disputar a prefeitura de Blumenau. Quando o assunto é o Governo de Carlos Moisés no entanto, apesar de seu declarado apoio à Bolsonaro, Alba é bem mais ameno que deputados do PSL como Ana Campagnolo e Jessé Lopes, adotando postura de certa defesa da administração estadual.

 O sr se define como um deputado “municipalista”. Qual sua avaliação dessa proposta apresentada pelo ministro Paulo Guedes que inclui a extinção dos municípios com menos de cinco mil habitantes?

Eu acho que o assunto tem que ser debatido porque tem a questão de economia, que é uma questão importante, que deve ser levada em consideração, a questão de autossuficiência dos municípios, se consegue se manter por si só ou não... essa é uma questão importante mas não é a única a ser debatida. Tem, a questão também da identidade, do pertencimento, daquela identidade entre o munícipe e o município... daqueles pequenos municípios. Então isso tem que ser levado em consideração também, isso tem que ser debatido. O indivíduo nasceu em um pequeno município e ele se sente pertencente àquele município,. Cria uma relação afetuosa até que deve ser levada em consideração.

Então o sr é contra a proposta?

São dois viés que precisam ser debatidos. A gente precisa analisar todos os contextos e esse cenário é mais amplo que apenas o econômico que é prioritário também. Mas a questão da identidade também é prioritária e precisa ser discutida. A questão será debatida no Congresso Nacional. Vamos ver qual vai ser o posicionamento dos deputados federais. No contexto catarinense significaria a extinção de 105 municípios. Será que o catarinense quer essa extinção? Sobretudo essa seria uma boa pauta para um plebiscito em Santa Catarina.

O sr fala muito em Blumenau, o sr é da cidade, foi vereador. O sr é pré-candidato a prefeito?

Olha eu fico muito feliz em ver meu nome cogitado como pré-candidato a prefeito até pelo trabalho que nós temos de realização no município de Blumenau, levando recursos, convênios, reconhecendo Blumenau agora como Capital Catarinense dos Transplantes, o que possibilita injeção de recursos muito  grande na área hospitalar. Eu fico muito feliz em ter esse reconhecimento nas ruas, na boca do povo e na boca dos jornalistas também. Mas está cedo ainda para falar de eleição. Eu abaixo a cabeça e trabalho. Isso vai ser reflexo do nosso trabalho no exercício do mandato de deputado. Se lá na frente em pesquisas que virão com certeza, o meu nome estiver bem cotado e a população quiser que eu seja candidato a gente vai parar e analisar. Hoje ainda está cedo para falar em candidatura.

 

O sr esteve essa semana em Brasília em busca de recursos para sua região mas conversou também com o deputado federal Eduardo Bolsonaro e manifestou apoio ao Governo de Jair Bolsonaro. O sr é bolsonarista “de raiz”, digamos assim. Mas aqui em Santa Catarina, o sr mantém sintonia com o Governador Moisés, que se afasta do presidente. Afinal, qual a sua posição?

Eu sou Bolsonaro antes de Bolsonaro ser presidente da República. Eu levei o Bolsonaro em 2015 em Blumenau, quando levei o Bolsonaro em 2017 em Blumenau... eu sou Bolsonaro antes  de ser vereador em Blumenau, fui eleito em 2016.Eu coordenei o movimento pró-impeachment em Blumenau, fizemos as maiores manifestações proporcionais  do Brasil... Então eu carrego o nome do presidente Jair Bolsonaro muito antes de ele ser pré-candidato à presidência da República, conheço ele e o Eduardo de longa data. Em Brasília estive agora especificamente para ir no Ministério da Saúde, conversar com o Ministro Mandeta, o adjunto dele nos atendeu, para ver a questão de recursos para hospitais. Em ida ao Congresso nacional, encontrei o Eduardo Bolsonaro que é um parceiro de longa data já esteve em Blumenau conosco, e externei a ele meu apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Não fui especificamente para falar com ele não, fiz várias agendas mas tive a oportunidade de reforçar meu apoio que é histórico ao presidente Jair Bolsonaro.

O sr participa do encontro hoje em Criciúma?

Acho que sim, ele convidou a mim e ao deputado Mocelin, eu tenho agenda hoje aqui às 13 horas na Comissão do Idoso, que é a comissão que eu presido, vou estender, para pelo menos dar um abraço nele no início, haja vista que amanhã de manhã tenho agenda em Blumenau e são cinco horas de viagem. Mas no início estarei lá para pelo menos dar um abraço nele e dar todo meu apoio. E aqui no governo do Estado tem apoiado o Governador nas pautas que são boas para o desenvolvimento de Santa Catarina. Corte de cargos comissionados, algo que o presidente está fazendo lá também, então são pautas homogêneas. Investimento de recursos em hospitais Filantrópicos, o Governador investiu R$ 190 milhões, tem nosso apoio também. Então são várias ações de desenvolvimento a Santa Catarina que eu como deputado estadual estou apoiando.

E na Assembleia? Qual sua posição em relação a essa divisão dos deputados que estão com Bolsonaro e os que estariam mais em sintonia com Moisés?

Eu atuo apoiando o governo nas ações que são para o Desenvolvimento de Santa Catarina. Não significa apoio cego, irrestrito e incondicional mas apoio com análise crítica das pautas que são debatidas na Assembleia e propostas pelo governo. Nessas pautas de desenvolvimento o governador pode contar com meu apoio. Fortalecimento da Polícia Militar, das forças de segurança, incremento nas exportações que o governo vem fazendo, redução do Estado enfim várias pautas que tramitaram lá e que tiveram e terão meu apoio porque são bandeiras  minhas, que eu carrego independente de quem seja o representante. Então, a gente foi eleito para apoiar as pautas que balizam o crescimento de Santa catarina. Se são pautas de Governo ou da própria Assembleia, terão meu apoio.

Essa semana vio a tona episódio protagonizado pelo Governador, que assinou documento para adiar o julgamento dos royalties do pré-sal, que beneficiariam os municípios. O governador errou?

Eu não estou a par dessa ação judicial. Isso é uma ação judicial que tramita no Supremo Tribunal federal e houve uma assinatura conjunta de vários governadores ...

E ontem, o STF definiu julgar somente ano que vem...

Então, eu não estou a par dessa ação judicial, não sei os detalhes dessa ação. O que sei é que houve uma ação conjunta de vários governadores pedindo o adiamento desse julgamento agora o que motivou esses governadores a pedir o adiamento eu não sei.

 

 

Enviando Comentário Fechar :/