Ao ser questionado pelo site sobre o assunto, Carlos Moisés afirmou que a prioridade é um candidato do PSL no município mas que a situação pode mudar
19/12/2019 22:27

O deputado Rodrigo Minotto, que é do PDT e bem próximo do sr, ensaia uma candidatura a prefeito em Criciúma. O sr apoiaria uma eventual candidatura dele?

São construções, o deputado Rodrigo Minotto é da nossa base do Governo, é um deputado amigo do Governo, amigo do governador, tem nos acompanhado na região, tem feito entregas conosco na região. Mas apesar de tudo isso, o partido tem a possibilidade de lançar um candidato próprio e temos estudado alguns nomes. A política se constrói no dia a dia. Isso pode mudar? Pode, mas num primeiro momento o PSL tem vontade de lançar candidatos próprios. Ou a prefeito, ou a vice-prefeito em todas as regiões, em todos os municípios de Santa catarina. Então a gente está construindo isso lá no Sul.

Içara é a mesma situação?

Içara também. Nós queremos lançar candidatura própria, tem aproximações com todas as lideranças políticas lá, mas o partido foi renovado, sua executiva, é um novo partido, para a gente, para Santa Catarina a gente entende que é um novo time, uma nova equipe mas eu tenho separado o governo de questões políticas partidárias. O deputado Fábio Schiochet tem tratado muito bem disso, ele traz ao meu conhecimento, a gente discute nomes, pessoas mas eu tenho deixado isso para a gestão partidária porque preciso ter foco no governo. Mas vou participar sim das eleições municipais e vou apoiar candidatos.

Na explanação que o sr fez de quase um ano de governo o sr afirmou ter pego um governo com muitas dificuldades. Qual a maior que o sr enfrentou?

A maior dificuldade foi ver um governo sem planejamento, um governo que muitas vezes não sabe onde quer chegar ou que os planejamentos que havia dentro das estruturas de governo dos servidores competentes que são, não eram ouvidos, não tinham voz. As prioridades muitas vezes são elencadas de forma política. Hoje utilizamos também da força de vontade, da expertise de quem está lá na ponta, os prefeitos, as associações de municípios inclusive pata elencar obras prioritárias do Governo do Estado. Então essa mudança de gestão, com um governo mais municipalista, a redução das estruturas de governo, dos cargos comissionados, a diminuição da folha de pagamento, tudo isso fazendo que a arrecadação aumente, penso que nos projeta então a esperança de seguir um governo pragmático, com propósitos, propostas, que liquide com obras históricas, que precisavam ser liquidadas e continua avante em 2020 com recuperação financeira do Estado.

Enviando Comentário Fechar :/