Notas emitidas nesta semana expõem racha no partido
09/01/2019 09:26
Rincão Refis para meio da página

 

Nota emitida ontem por líderes do PSL de Araranguá expôs a crise aque assola o partido em Santa Catarina, apesar dos poucos dias de governo de Carlos Moisés. O estopim foi a nota do presidente estadual do partido, Lucas Esmeraldino onde ele avalia em números o crescimento da sigla, sob seu comando e solicita certa "calma"dos militantes.

Na nota, Esmeraldino informa que o Governo segue "em período de transição pelos próximos 90 dias e mudanças administrativas serão realizadas gradualmente.

A reação foi outro extenso texto que inicia avaliando ter virado "motivo de piada" a nota de Esmeraldino, que é também Secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico. Ao final da carta, o questionamento sonre Esmeraldino: " o senhor quer ser super secretário e presidente do partido??".

As duas cartas expõem a fragilidade de um governo eleito para inovar, deixando para trás antigas práticas políticas mas tropeça na falta de experiência e demonstra isso a cada dia.

Sinal claro foram as "desnomeações" de cargos já definidos como o presidente da Santur, Tiago Savio Mondo que solicitou exoneração após pressão via redes sociais. Depois dele, Edenice Fraga, que coordenaria a igualdade racial e Rita Maria da Silva como gerente regional de Educação também foram retirados da lista. 

Há pouco, o deputado eleito Jessé Lopes, do PSL de Criciúma, publicou em sua página no facebook a nomeação de Karen Sabrina Bayestorff Duarte, que a época da campanha eleitoral publicpu em suas reds sociais que "não moraria nem em um prédio onde Bolsonaro fosse síndico". 

Confira na íntegra a nota de ontem e a seguir a de Lucas Esmeraldino emitida na tarde de segunda-feira:

 

Amigos conservadores de Santa Catarina. 


O presidente estadual do PSL de SC Lucas Esmeraldino soltou uma nota ontem que virou motivo de piada dentro e fora da sigla. O texto “conclamando” o partido está confuso, pra ser bem econômico . Com um belo cargo garantido na máquina estadual, o dirigente defende a permanência de servidores do MDB na atual gestão. E pede apoio ao governador Moisés. Senhor LUCAS, nós apoiamos o nosso governador, mas não apoiamos o Senhor presidente centralizador! Que história é essa de nova política e novo um governo recheado de MDB, um partido que suga o Estado há mais de 16 anos? Ninguém aqui está pedindo boquinhas no governo, não é nosso desejo nem nosso papel. Mas também ninguém é palhaço para engolir essa postura ridícula de dirigente estadual atrapalhado e arrogante. Que se valorizem os servidores de carreira, sim, mas sem esquecer que o PMDB quebrou o Estado, não pagou folha dos servidores durantes três meses no passado e tem suas digitais em muitas situações negativas e sombrias na política catarinense


EXECUTIVA ESTADUAL
Além disso e tão grave quanto, o presidente estadual USOU a velha política e o autoritarismo para compor a nova executiva estadual para 2019. NO FINAL DE dezembro 2018, de maneira centralizadora, ele definiu e enviou nomes para a nacional sem conversar com ou consultar ninguém da base. Os diretórios municipais não foram ouvidos e os deputados, na sua maioria, também não. Ou seja, depois que garantiu seu naco de poder, o presidente do partido quer “unir” o PSL, a direita, com uma meia dúzia de palavras bonitinhas, mas vazias, desprovidas de qualquer atitude dele ou do governador para valorizar os homens e mulheres que fizeram o partido forte em Santa Catarina. O que estamos vendo, perplexos, é a mais pura velha politicagem.

Vale lembrar que o grande resultado em SC foi fruto de um trabalho não apenas de uma pessoa. Foi feito do suor de MILHARES de catarinenses que militam há anos ao lado do nosso presidente Jair Boslonaro. ESTES SIM devem ser exaltados e elogiados! Essa força que o presidente criou a partir da base, que somos nós, todos nós que demos a cara a tapa, fomos para a rua e trabalhamos até o último voto totalmente de GRAÇA.

AMEAÇA AOS MILITANTES

Na nota, o presidente estadual também sugere que quem não concordar com esta palhaçada pode sofrer sanções nos diretórios municipais, cujas comissões provisórias, segundo ele, venceram em dezembro do ano passado. Na prática, dirigentes municipais são ameaçados à luz do dia e publicamente!!

Ele está dizendo, com todas as letras, que aqueles que não acharem lindo essa mais absoluta falta de respeito e consideração com todos os que trabalharam duro na campanha serão simplesmente descartados pelo comando estadual. Como se fôssemos papel higiênico. Usa e joga fora!
Senhor presidente Lucas, fica aqui uma sugestão e também uma pergunta: a sugestão é ter humildade, descer do palanque e do salto alto e trabalhar. Ninguém é melhor do que todos nós juntos. A pergunta é: o senhor quer ser super secretário e presidente do partido??

XÔ política velha

Enviando Comentário Fechar :/