Dourival Giassi foi absolvido no processo-crime no caso que deu origem a CPI das Bolsas na Câmara de Criciúma (FOTO). Miguel Mastella foi condenado a quatro anos e dois meses de prisão em regime semi-aberto, com direito de recorrer em liberdade
31/10/2019 18:39

O Juiz Bruno Sales, da 2º Vara Criminal de Criciúma absolveu Dourival Giassi da acusação de Peculato no caso de desvio de recursos públicos que deu origem a CPI das Bolsas na Câmara de Criciúma, em 2013. Miguel Ângelo Mastella foi condenado  por Peculato, no processo-crime a quatro anos e dois meses de prisão em regime semi-aberto, com direito de recorrer em liberdade. Além disso, a sentença determina que Mastella devolva  mais de mais de R$ 600 mil para a prefeitura de Criciúma.

“ Sempre tive a convicção que o Giassi era inocente e a sentença confirma isso”, declarou há pouco ao site o advogado Ivo Carminatti, responsável pela defesa de Giassi. Na última semana, o Tribunal de Justiça determinou o retorno de Giassi às atividades na Unesc.

O relatório final da CPI, encaminhado à Justiça, apurou desvios de recursos públicos da prefeitura de Criciúma, destinados a bolsas de estudos, antes que chegassem aos cofres da Universidade.

A época, Mastela era o Secretário do Sistema Financeiro da Prefeitura.

Em sentença do Juiz Pedro Aujor Furtado Junior, da  2ª Vara da Fazenda Vara da Fazenda de Criciúma, Mastella e Giassi foram condenados a devolver R$ 707 mil aos cofres públicos municipais de Criciúma.

LEIA MAIS: Justiça condena Mastella e Giassi a devolução de recursos ao erário

Enviando Comentário Fechar :/