Deputado estadual Marcos Vieira esteve em Nova Veneza nesta semana e em entrevista exclusiva ao site falou da situação de Kaminski
26/04/2019 07:57

O presidente do PSDB de Santa Catarina, deputado Estadual Marco Vieira, representou a Assembleia Legislativa na sessão solene em homenagem aos 74 anos da tomada de Monte Castelo, na Itália, que teve a participação da Força Expedicionária Brasileira, com soldados também de Nova Veneza. “O Dia da Libertação” é comemorado na Itália em 25 de abril  e a sessão na Câmara de Nova Veneza, sugerida pelo vereador Aroldo Frigo Junior, do PSDB, aconteceu na noite de quarta-feira.

Pouco antes da sessão, Marcos Vieira teve reunião com tucanos na cidade e na entrevista que concedeu ao site, falou também sobre a “libertação” do vereador de Criciúma, Júlio Kaminski. Na opinião de Vieira, o vereador deveria permanecer em ninho tucano.

Mais que isso, o deputado, que é presidente da CPI da Ponte, avaliou como “estranha” a situação em que empresário não reconheceu assinatura em aditivo de contrato.

Reunião no PSDB de Nova Veneza

Reunião informal, boa, light, onde agradeci os votos que obtive na cidade, me coloquei à disposição, quero também reverter esse quarto mandato em favor de Nova Veneza mas também discutimos a não eleição de deputado estadual que representasse o sul do estado.

 A que o sr atribui essa não eleição?

Sou franco em dizer que a culpa é de todos nós, que não lançamos mais candidatos a deputado. Lançamos um único que fez uma boa votação mas precisaríamos de mais dois candidatos a deputado estadual para que pudéssemos fazer legenda e alavancarmos nossas candidaturas com votação maior. Mas nós temos tempo para fazer isso para a próxima eleição, agora é levantar a cabeça, virar a página, abrir o para-brisa, diminuir o espelho retrovisor e tocar o barco pra frente preparando o partido para 2020 e depois 2022.

 Em Criciúma, temos o caso do vereador Júlio Kaminski, que é do PSDB e está praticamente sendo convidado a se retirar. O sr concorda com esse convite ao vereador?

O Kaminski já foi para a justiça eleitoral solicitar sua alforria e foi negado. Se ele desejar sair do partido, que saia na janela mas eu enquanto presidente do PSDB no Estado, sou amigo dele, gosto dele, sei do trabalho dele e como partidário, prefiro que ele fique no partido e dispute a eleição ano que vem.

 Disputar como candidato a vereador?

Disputar a vereador se ele quiser. Se quiser uma majoritária, conquiste o partido. Eu sou dessa tese. Nunca fui de impor qualquer tipo de candidatura. Quem quer ser candidato em qualquer nível de eleição, tem que conquistar o partido. É a mesma coisa a minha eleição. Sempre tenho dito e reiterado em meus discursos. Em todas as convenções em que fui escolhido candidato, sempre levei minha mulher e minha família. Porque o primeiro voto que eu peço depois de homologado meu nome, é o da minha mulher. Se eu não sair bem de casa, não adianta pedir voto para meu vizinho. Por isso que digo: quer ser candidato, conquiste o partido.

 O sr é também presidente da CPI da Ponte Hercílio Luz e na última reunião teve uma suspeita de falsificação de assinatura. Quais providências foram tomadas quanto a isso?

Estamos mandando pedir os cartões de assinaturas do cartório, das pessoas que alegam que não assinaram o contrato e depois vamos fazer a verificação. Mas é algo realmente estranho que um aditamento de contrato foi assinado e os donos da empresa não reconhecem a assinatura.

Enviando Comentário Fechar :/