Leia Também: O Deputado federal Daniel Freitas, do PSL, tratou de repudiar a nota emitida pelo seu partido e o DEM
08/09/2021 22:15

A agenda cirúrgica de Moisés

O governador Carlos Moisés da Silva cumpre roteiro nesta quinta e sexta-feira na Serra catarinense, onde vai anunciar investimentos mais que significativos. Em Lages, terra do ex-governador Raimundo Colombo, do PSD, Moisés deixa a marca do maior investimento individual feito por um governador. A cidade é administrada pelo prefeito Antônio Ceron, que é do PSD, e teve apoio total e irrestrito de Colombo nas eleições de 2020. O pacote de obras chega a quase R$ 50 milhões para a base eleitoal do ex-governador , que foi convidado para a agenda. Desde que sobreviveu a dois processos de impeachment, o Governador Carlos Moisés colocou o pé na estrada, com agenda “cirúrgica” nas regiões do Estado. Na região sul em agosto, deixou mais de R$ 60 milhões. Com o cofre cheio e passos estudados, Moisés emite sinais claros que pretende disputar a reeleição como Governador.

 

Turismo

Na região serrana, o Governador Moisés vai anunciar investimentos também para  Bom Jardim da Serra, Otacílio Costa e Urupema. Esse último município, considerado o mais frio do Brasil, receberá recursos na ordem de R$ 6 milhões para a construção de uma rua coberta. Moisés investe em uma região que tem um enorme potencial turístico mas com atenção ainda tímida em governos passados. Por isso, deixa sua marca na Serra.

 

Iluminação

Outro ponto importante na agenda do Governador Moisés na região, é a iluminação estrada da Serra do Rio do Rastro, uma das paisagens mais bonitas de Santa Catarina.

 Almoço tucano

Depois do jantar com prefeitos do PSD há algumas semanas, nesta quarta-feira, o governador Carlos Moisés da Silva recebeu no Palácio da Agronômica, prefeitos do PSDB. Não foram todos, mas a maioria ligada ao deputado estadual Vicente Caropreso. 

 Na capital

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro oficializou nesta quarta-feira o convite para que o ex-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo se filie ao novo partido, resultado da fusão entre o DEM e o PSL. Búrigo saiu da reunião na Capital sem responder ao convite. Pretende analisar melhor o cenário.

 

Nota polêmica

A nota conjunta do DEM e do PSL não somente consolida a fusão dos dois partidos mas indica que o que já era previsto: articuladores da nova sigla não pretendem apoio para a o presidente Jair Bolsonaro.  Os partidos juntos repudiaram o discurso do presidente durante as manifestações do Sete de Setembro.

 Daniel reage

O Deputado federal Daniel Freitas, do PSL, tratou de repudiar a nota emitida pelo seu partido e o DEM. "O povo foi às ruas para pedir justamente que suas liberdades não mais fossem feridas e cerceadas por parte de membros do Judiciário. Clamava-se pela autonomia dos Poderes, pela Democracia e pela nossa Pátria. O Presidente não se referiu diretamente à Instituição da Suprema Corte, mas sim a certos membros que, diante de suas arbitrariedades, há algum tempo vêm diminuindo a grandiosidade que aquela Instituição representa. Demonstrar insatisfação é totalmente legítimo e está previsto dentro das quatro linhas da Constituição”, diz um trecho da nota de Daniel Freitas.

 

Caminho

O deputado federal Daniel Freitas foi eleito pelo PSL mas não vai permanecer no partido. Demonstração clara foi dada com a nota emitida por ele nesta quarta-feira. A conversa atual é com o PTB, que tem como presidente estadual o deputado Kennedy Nunes. O problema é que a investida encontrou resistência do deputado estadual Felipe Estevão, que está prestes a se filiar para concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados.

Enviando Comentário Fechar :/