A destituição da atual executiva através da anulação da eleição, é o fato que falta para confirmar a participação do partido na coligação encabeçada pelo prefeito Clésio Salvaro. Vereador Miri Dagostin (FOTO ) é dos principais articuladores da costura
19/02/2020 19:45

Desde o ano passado, por ocasião da escolha do comando do PP em Criciúma, instalou-se crise no partido. De um lado estava o grupo do vereador Miri Dagostin, então presidente da Câmara e com afirmação que seria a favor da candidatura própria se o ex-deputado Jorge Boeira fosse o candidato a prefeito pelo partido.

Caso contrário, ele nunca escondeu sua tendência a apoiar a reeleição do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, do PSDB. De outro lado estava o grupo liderado pelos que defendiam a candidatura própria, incluindo o então recém filiado empresário Gilson Pinheiro.

A queda de braço pelo comando foi vencida pelo grupo que defendia a candidatura própria com a escolha de Paulo Conti para a presidência do partido. O outro grupo no entanto, chegou a contestar na Executiva Estadual a eleição, alegando irregularidades. Quando, já em 2020 Jorge Boeira confirmou que não será candidato a prefeito de Criciúma, a guerra recomeçou ainda que implícita. O vereador Miri Dagostin conversou ainda em janeiro com o Secretário do PP em Florianópolis, Aldo Rosa.

 

Depois da conversa com Aldo Rosa, Dagostin esteve com o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli.

 

 

E por último, esteve em Brasília com o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro e teve longa conversa com o senador Esperidião Amin

 A julgar pelo cenário, Miri Dagostin é o principal elo em toda a costura para que o PP esteja na coligação liderada pelo prefeito Clésio Salvaro nas eleições deste ano em Criciúma.

Hoje em Florianópolis, um encontro entre Aldo Rosa, Leodegar Tiscoski e Ponticelli, que afirmou ao site não haver programado, garantindo que foi ao diretório estadual tomar um café, levantou novamente o pedido do grupo liderado por Miri Dagostin para averiguação da eleição da executiva do PP em Criciúma.

A informação é que o pedido está sob avaliação jurídica e que até sexta-feira haverá uma conclusão sobre possível encaminhamento, que pode ser a anulação da eleição com convocação de novo pleito para a presidência do partido em Criciúma. 

Em todo este cenário, figura ainda uma informação importante, de bastidores e que não é confirmada por nenhuma liderança: a possibilidade de acordo entre PP, PSDB e PSD em alguns municípios de Santa Catarina, já visando ao pleito eleitoral de 2022. Isso incluiria Criciúma e Tubarão. Caso se concretiza a tese, a conversa entre líderes estaduais dos partidos com prefeitos como Joares Ponticelli e Clésio Salvaro,  também faz sentido.

Enviando Comentário Fechar :/