A Operação Alcatraz, deflagrada ontem pela Polícia Federal, foi o assunto do dia na política de Santa Catarina, especialmente por envolver o nome do presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Júlio Garcia, do PSD.
31/05/2019 08:56

A Operação Alcatraz, deflagrada ontem pela Polícia Federal, foi o assunto do dia na política de Santa Catarina, especialmente por envolver o nome do presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Júlio Garcia, do PSD.

Eleito em 2018 depois de ter ocupado a função de Conselheiro do Tribunal de Contas por quase dez anos, Garcia foi alçado ao comando da Casa por unanimidade dos votos, pela terceira vez em sua carreira política. Antes de ser nomeado para o TCE já havia sido eleito presidente da Assembleia por duas outras ocasiões.

O caráter conciliador de Garcia o coloca como uma das mais fortes lideranças políticas no cenário estadual, sendo seu nome citado inclusive como possibilidade de candidatura ao Governo em 2022. Por isso, a busca e apreensão realizada no apartamento de Júlio Garcia, em uma operação da Polícia Federal, tomou proporções gigantescas, principalmente no cenário político.

A Operação Alcatraz investiga supostas irregularidades nas Secretarias de Estado da Administração e Epagri entre os anos de 2009 e 2018, período n qual Júlio Garcia estava no Tribunal de Contas do Estado.

O nome que está diretamente ligado à investigação e que foi preso na Operação, é o ex-secretário estadual adjunto de administração, Nelson Nappi, que na Assembleia, exercia o cargo de diretor de tecnologia. Ele foi exonerado ontem mesmo, logo após a “visita” da Polícia Federal à Assembleia, que iniciou por volta das sete horas da manhã. O dia na Capital foi agitado.

LEIA MAIS:A NOTA OFICIAL DE JÚLIO GARCIA

A NOTA DA ASSEMBLEIA SOBRE A OPERAÇÃO ALCATRAZ

Enviando Comentário Fechar :/