Na entrevista que concedeu ao site o senador cita como líder na região o ex-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo e diz que se ele quiser ser candidato a prefeito vai ser mas enumera outros nomes como o do advogado Jefferson Monteiro.
24/10/2019 19:31

O senador Jorginho Mello, do PL, terá conversa com a bancada de deputados estaduais  do partido na segunda-feira para avaliar pedido de deputados estaduais do PSL de cooperação nas pautas de Santa Catarina. Na entrevista que concedeu ao site há pouco, o senador admitiu que Maurício Eskudlark pode sair da Comissão de Constituição e Justiça e antecipou que Ivan Naatz deve filiar-se ao PL.

Lembrou também que a decisão de Eskudlark de tornar-se líder do Governo Moisés foi pessoal e não partidária e enfatizou que “ não sabe até quando ele fica”. Mello lembrou ainda que o o PL é o partido mais fiel ao presidente Bolsonaro.

Jorginho Mello foi eleito senador em 2018 mas a coligação da qual fazia parte era encabeçada pelo candidato ao Governo, Mauro Mariani. Teoricamente não tem compromisso político com Carlos Moisés apesar de afirmar que há contribuição do PL com o atual governo.

Pode-se avaliar então que a união dos deputados dissidentes do Governo Moisés  com o PL em Santa Catarina está praticamente sacramentada e que na reunião de segunda-feira a conversa deve se estreitar com o deputado Maurício Eskudlark.

Quando o assunto são as questões locais, Jorginho Mello fala no nome de Márcio Búrigo como prioridade do partido para possível candidatura a prefeito, seguido de Jefferson Monteiro mas não deixa de citar Nícola Martins e Júlia Zanatta. Na entrevista, ele deixou claro que a intenção não é composição com o prefeito Clésio Salvaro para 2020.

Confira a entrevista:

O sr recebeu nessa ontem, a visita dos deputados do PSL solicitando ajuda para compor na Assembleia Legislativa. De que forma o PL pode ajudar o PSL aqui na Assembleia?

O PL a nível nacional é o partido mais fiel ao presidente Bolsonaro. Nós estamos em primeiro lugar. O PSL está em sétimo lugar em apoiamento do próprio presidente da República.Então nós temos moral para falar sobre apoio. Nós estamos querendo que o Brasil dê certo. A gente tem consciência que estamos no mesmo avião e não dá pra torcer pro piloto dormir. Então o pessoal me procurou, eles tiveram uma desavença e eu procuro não entrar nessas questões partidárias, pessoais e particulares. Mas eles foram me procurar em Brasília, a deputada Ana e o deputado Lima, me dizendo que estão abandonando o governo, que são um grupo de oposição e queriam saber se o Partido Liberal poderia estar junto na tratativa das questões da Assembleia. Eu disse a eles que nós temos muita responsabilidade em aprovar, a gente torce por Santa Catarina, a gente não faz política com ódio nem para sacanear ninguém e vou falar com a bancada na próxima segunda-feira, antes de ir para Brasília, e vamos tratar do assunto...

Porque hoje, o PL tem o líder do Governo que é o deputado Maurício Eskudlartk...

O deputado Maurício, foi uma decisão dele, não uma decisão partidária. Ele pediu ao partido, o partido não autorizou e aí ele pediu que a gente deixasse ele cumprir um período ali para ter experiência enfim, e a gente deixou. Então agora não sei até quando que ele fica, e a gente tem ajudado o governo de forma geral. Tudo que é bom para Santa Catarina, nenhum deputado pode se dar ao luxo de votar contra por votar contra, a população não quer isso. Então eles estão não só aqui em Santa Catarina como numa convulsão nacional, o PSL. E isso vai ser muito ruim para eles. Vão perder gente, vão desintegrar o partido a nível nacional.

Aqui em Santa Catarina, é possível que o deputado Maurício Eskudlark saia da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia?

É possível, tudo é possível. A gente conversa, de forma responsável, estamos fazendo mais filiações. Outro deputado que também faz parte da CCJ tá vindo, que é o Ivan. Ele tá na justiça para ter justa causa por todas as sacanagens que fizeram com ele.

O sr participa daqui a pouco de evento do PL em Criciúma que terá novas filiações, inclusive a do advogado Jefferson Monteiro. O Jefferson é o pré-candidato a prefeito pelo PL?

O nosso líder aqui na região é o Márcio Búrigo e se quiser ser candidato a prefeito ele vai ser. Depois vem o Jefferson , depois o Nícola e depois vem a Júlia (Zanatta) que tem interesse em ser candidata a alguma coisa.

A Júlia Zanatta pode ser candidata a prefeita também?

Pode, tudo pode. Aqui nós vamos fazer uma pesquisa lá na frente para ver quem tem mais chance de ganhar a eleição. Isso é consenso nosso. Fazemos política ciscando pra dentro, não pra fora.

Então, pelo que entendi, a intenção é que o PL tenha candidato a prefeito em Criciúma ...

Ter candidato a prefeito

Não uma composição com o prefeito Clésio Salvaro...

O Clésio é meu amigo. Foi deputado junto comigo, um prefeito exitoso, todos nós sabemos e respeitamos. Mas cada partido tem que procurar crescer, senão você se assusta com o tamanho do bicho e não participa. Então, onde tem televisão, onde tem municípios grandes, nós vamos ter candidato, para divulgar o nome do partido, o número do partido. O partido é o terceiro maios do Brasil. Primeiro é o PT, segundo é o PSL por enquanto e nós somos o terceiro. Nós temos 40 deputados federais. Depois que vem os outros partidos.

Enviando Comentário Fechar :/