Clésio Salvaro esteve nesta noite na Câmara de Vereadores de Criciúma
07/05/2019 20:43

O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, do PSDB, poderia ter recursado o convite dos vereadores para explicar na Câmara a possibilidade de rompimento de contrato com a Casan mas não o fez. Compareceu a Tribuna, expôs seus motivos e novamente afirmou que politicamente a decisão de rompimento está tomada, reafirmando o “estilo Salvaro”: quando define uma ação, dificilmente volta atrás.

 Do ponto de vista técnico no entanto, nem todos os pontos explicados convencem. A iniciar pela afirmação que a multa pela rescisão pode não chegar ao R$ 200 milhões. Outro ponto foi a afirmação que a Barragem  é dos municípios, afirmação que também está sujeita a discussão. Por ora, a única certeza no cenário é que o rompimento deve gerar uma guerra jurídica com vencedor a longo prazo.

Salvaro utilizou o horário político da Câmara e falou por cerca de 50 minutos. Ele inciou lembrando que a Casan está desde os anos 70 em Criciúma e apontou entre os motivos para o rompimento, o preço cobrado pela água. Segundo o prefeito, a água em Criciúma é em média 50% mais cara que outros serviços.

CONFIRA NA INTEGRA A FALA DO PREEITO NESTA NOITE NA CÂMARA DE CRICIÚMA

 

Enviando Comentário Fechar :/