Depoimento de ontem responsabilizou a servidora Márcia Pauli pelo pagamento dos respiradores. Para o relator Ivan Naatz , o depoimento foi claro, e trouxe avanços para o entendimento dos deputados
17/06/2020 17:18

A CPI dos Respiradores prossegue nesta quinta-feira com mais quatro depoimentos : O CEO da empresa importadora de Joinville Brazilian International Business, Rafael Wekerlin; o representante da empresa Cima – industria de produtos médicos e fornecedora de respiradores , divisão do Panamá, Samuel de Brito Rodovalho; o sócio da empresa importadora de produtos médicos Oltramed, de Joinville, Gustavo Steglich, além do médico pneumonologista Márcio Martins para prestar informações gerais da área.

A Comissão Parlamentar de Inquérito também aprovou o requerimento do relator, deputado Ivan Naatz, do PL, para a reconvocação de duas testemunhas já ouvidas, a fim de dirimir dúvidas: o advogado Leandro Barros, que está preso preventivamente, dentro da Operação Oxigênio, e o Controlador-Geral do Estado, Luiz Felipe Ferreira.

Os depoimentos dos dois estão previstos para a próxima terça-feira, dia 23 de junho.

RESPONSABILIDADES - Nas oitivas de ontem, chamou a atenção na CPI, o depoimento da servidora da Secretaria de Estado da Saúde , Débora Brum. Ela afirmou que a responsabilidade pela autorização do pagamento pelos 200 ventiladores pulmonares adquiridos junto à Veigamed foi de Márcia Pauli, ex-superintendente de Gestão Administrativa (SGA) da secretaria.

A testemunha explicou aos deputados que, conforme instruções internas da própria SES, o pagamento de R$ 33 milhões só poderia ser feito mediante a assinatura digital, com uso de senha pessoal e intransferível, da então superintendente Márcia Pauli nas duas notas fiscais encaminhadas pela Veigamed, por meio do Sistema de Gerenciamento de Processos Eletrônicos (Sigep). Apenas com essa assinatura digital, conforme Débora, o pagamento das notas seria encaminhado para o Sistema Integrado de Planejamento e Gestão Fiscal (Sigef), no qual seria concretizado.

Para o relator Ivan Naatz , o depoimento da servidora Débora Brum foi claro, objetivo , documentalmente sustentável e trouxe avanços para o entendimento dos deputados sobre os procedimentos administrativos que não foram observados e que permitiram a fraude na aquisição e pagamento dos respiradores . “Contribuirá de forma importante para a construção do relatório final da CPI que já começa a ser elaborado”, resumiu.

 

Enviando Comentário Fechar :/