Diretor de Comunicação do Sindicato, Jucélio Paladini acompanhou a assinatura do contrato em 2012
16/04/2019 08:59

Em contato com a coluna do DN e com o site, o diretor de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores em Água e Esgoto e Meio Ambiente de Santa Catarina, Jucélio Paladini fez alerta sobre a possibilidade de rompimento de contrato entre a prefeitura de Criciúma e Casan em especial sobre a multa a ser paga.

Paladini acompanhou em 2012 a assinatura do contrato pelo prefeito Clésio Salvaro e o cálculo aproximado que faz é que seriam cerca de R$ 200 milhões de multa.

Mais que isso, Paladini alerta para a dificuldade na realização de obras de saneamento em razão da falta de recursos e entraves para financiamentos com bancos e cita o exemplo do Samae de Orleans cujo presidente esteve na Câmara na última semana.

“ Eu sou natural de Orleans e quando sai da minha cidade em 1979, estavam iniciando  a implantação do sistema de esgoto. Obras lá foram feitas a fundo perdido por uma emenda do então deputado Walmor de Luca”, lembrou. Atravpes de seu diretor, o Sindicato dos Trabalhadores ressuscita assunto que acabou em segundo plano na última semana também na Câmara de Vereadores de Criciúma, principalmente após a implantação da CPI do CriciúmaPrev.

Enviando Comentário Fechar :/