As contas foram rejeitadas pela maioria simples dos parlamentares, mas como a votação não atingiu dois terços dos votos, permaneceu o parecer prévio do Tribunal de Contas de Santa Catarina que recomendava a aprovação.
30/10/2019 09:15

A prestação de contas de 2017, referente a administração do prefeito Jaimir Comin  do PP, foi apreciada em plenário na sessão de ontem. As contas foram rejeitadas pela maioria simples dos parlamentares, mas como a votação não atingiu dois terços dos votos, permaneceu o parecer prévio do Tribunal de Contas de Santa Catarina que recomendava a aprovação.

Votaram pela rejeição das contas os vereadores Sidnei Viola, do PP .José Bonomi, , Reginaldo Rizzati , Crisleide Cimolim e Luciano Miotelli, todos do MDB.

Nesta semana, o Ministério Público de Contas emitiu um parecer recomendando a rejeição das contas do município. Segundo o vereador Luciano Miotelli, o parecer demonstra que no primeiro quadrimestre de 2017, o município gastou 2,06% a mais com folha de pagamento. No segundo quadrimestre do ano, a prefeitura gastou 3,81% a mais que o permitido.

O parlamentar alerta que o executivo deve utilizar 54% da arrecadação mensal com folha de pagamento. Atualmente, o município empenha 67%. “São aproximadamente, R$ 1 milhão gastos excessivamente com folha de pagamento”, disse.   

Votaram contrários a rejeição os vereadores Gabriel Mariani e  Nelson Levati ambos do PP e Rodrigo Nava, do PSB. O edil Ângelo Tasca , do PP, estava ausente no momento da votação..

O vereador Gabriel Mariani defendeu as contas de 2017, e justificou o voto baseado no parecer do Tribunal de Contas.

A documentação sobre as contas municipais e a votação da Casa será protocolada no Tribunal de Contas de Santa Catarina, conforme prevê a lei.

Enviando Comentário Fechar :/